sábado, 5 de novembro de 2011

Diferente

Até que ponto ser diferente é uma coisa boa e uma coisa ruim?
Quando se é diferente passamos a ver as coisas de forma singular. Sempre que eu viajava eu acha interessante e bonito ver nas montanhas onde tem alguma plantação ou algo do tipo, conseguir ver a forma da nuvem na sombra que ela faz. Ás vezes esquecemos que nuvens fazem sombras e isso sempre me fez pensar nisso. Certa vez estava viajando em uma excursão escolar e por sorte minha sentou uma garota que sempre me interessou do meu lado, fiquei pensando no que falar para ela, em certo momento eu vi uma nuvem e comentei que achava bonita a sombra das nuvens, ela respondeu com um: "pff" e foi pedir para a professora para trocar de lugar.
Fiquei me sentindo um louco! Porém semana passada na viagem fiz o mesmo comentário, me acharam louco novamente.
Outro caso de escola: Sempre tínhamos uma aula de educação artística que o professor pedia para fazermos um desenho abstrato, isto é, fazia um risco aleatório  completando bastante da folha e após isso devíamos encontrar formas e desenhos dentro daquelas linhas se cruzando. Bom eu sempre fui mal nessas atividades, encontrava apenas peixes corações e a carinha do bad boy. Mas sempre tinha na turma um colega que encontrava desenhos super bacanas e pintavam e os professores elogiavam dizendo que eram artistas, inspirados, etc.
Porém, hoje quando eu comento que vejo formas em nuvens e pipocas dizem que sou louco, não consigo entender quais são os critérios usados para avaliar aquele caso como artista e esse caso como louco.
Acredito que no fim seja apenas questão de referência, imaginemos então a seguinte referência: Todo dia quando preciso dirigir atravesso por uma mesma avenida na ida e na volta, porém quando estou indo o sentido contrário esta congestionado e o que estou seguindo está tranquilo, já quando estou voltando acontece o mesmo, o sentido que antes estava livre está congestionado e agora o sentido que estou, está tranquilo. Isso de certa forma sugere que estou na contramão da sociedade? Quando está todo mundo indo eu to vindo.  Quando todos querem um tablet eu digito meus textos no bloco de notas para sentir que eu não estou tão avançado assim. Mas essa discussão eu deixo para o próximo texto.
Ser diferente é difícil, ás vezes somos julgados, mas parece muito mais bonito, pelo menos para mim o diferente é muito mais atraente, ele não se dissolve no igual.

Para muitos ser diferente é sinônimo de ser louco, mas tomando algumas frases emprestadas já nem lembro mais de onde foram tiradas: "Só os loucos entendem" expandindo um poucos, só os loucos se entendem e se identificam como comuns. "Loucos se amam", e me atrevo ainda a dizer que se amam com muito mais sinceridade por não se preocuparem com essas outras aparências do amor!

Só para concluir algo, empresto uma frase que ouvi hoje no serviço, "ser louco é mais fácil" isso porque quando sentimos uma vontade estranha de fazer algo, podemos simplesmente fazer, pois ninguém mais irá se assustar com isso, afinal você já é DIFERENTE!