sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Regionalidade

Quando viajamos até outra cidade para um congresso de cunho nacional percebemos a grande variedade social/regional que esse país possui, podemos observar essa variedade pela fala, pelo comportamento, etc.
A porta de entrada é o sotaque que todos carregam como se fosse um pouco da terra de onde veio dentro do bolso, confesso que não sou o melhor para identificar da onde é um sotaque confundo todos mesmo que não sejam nada parecidos. Isso é o suficiente para eu fazer sempre a mesma pergunta: "você é de onde?", normalmente a outra pessoa devolve a pergunta e depois emenda "e lá em Curitiba continua frio?" mas é claro que a pessoa foi embora e o clima de uma cidade muda por conta disso.

Porém dessa vez foi terrível, encontrei uma moça já com meu radar de sotaques ligado e identifiquei algumas particularidades ela terminava a frase com "dai", tinha uma vogal "E" bem marcada, ela chamava também menino de "piá". Certa hora no meio da conversa fiz a ela a mesma pergunta de sempre, para saber de onde ela é, e o resultado: descobri que ela é de Curitiba também.

Passei vergonha por não conhecer a mulher que encontro todos os dias no corredor, e de quebra ainda quebrei a ideia mitica de eu não possuir nenhum sotaque. Trágico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário